EM BUSCA DA ILUSÃO PERDIDA


Por Sergio Milani
Profissão de fé. Esta é a ação do fã de Fórmula 1. Nos últimos tempos, este tem apanhado mais do que sparring de lutador de UFC. Ele se posta na TV, busca matérias, discute nos grupos das redes sociais...esperando por uma corrida movimentada. Até aqui, em vão.Domingo será mais um dia, com o GP da Áustria.
O relacionamento do público com a Fórmula 1 é extremamente abusivo. Tem corrida sem graça, punições questionáveis, teorias da conspiração...uma série de coisas que caminham contra.
Após a última semana, onde tivemos um GP da França “morno” para ser bonzinho, mais uma vez foi dado por todo o globo o alerta de que a categoria agoniza, alguma coisa tem que ser feita...
A gritaria geral se entende. Brigamos com quem a gente se importa. Queremos ver bem a quem dedicamos atenção, a quem faz parte da nossa vida. E vamos até um certo limite. O problema é que este limite vem cada vez mais testado e uma debandada vem se observando.
Mas o fã ainda acredita. Mesmo sendo mal-tratado, ele dá mais uma chance. É como ir a um jogo de futebol e esperar um belo lance até o final. Ir a um show e a qualquer momento surgir uma grande atuação do artista. A novidade pode aparecer a qualquer momento.
No afã de salvar sua paixão, faz comparações com outras categorias. Mesmo aqueles que sempre jogaram pedra nas co-irmãs, agora soltam rojões. Foi até comovente ver algumas pessoas e sites que falavam mal da Indy vir falar bem da categoria agora e esfregar na cara que isso é corrida.
Mesmo quem fala mal, lá no fundo quer que as coisas mudam. Afinal, muita gente se apaixonou por esta droga automobilismo assistindo à “categoria máxima”.
Paixão? Comodismo? Lavagem cerebral? Relação tóxica? Um ou todas as opções definem esta relação. E tenho certeza que muita gente que hoje está reclamando da Fórmula 1, estará vendo domingo. Ou dando um jeito de saber como a corrida está rolando. Aqueles que estão de mal, darão uma olhadinha de leve...
Estes então estarão doidos para que as coisas se agitem. E com certeza mandariam aquele maroto “Oi, Sumida” para a Fórmula 1. Afinal de contas, um relacionamento de anos deixa marcas e não se esquece assim.
O que somente pedimos: Fórmula 1, por favor nos surpreenda.. É muito cafajeste, mas a gente quer ser enganado nem que seja por uns momentos. Aí a paixão volta. Até a próxima crise.

Comments

  1. Pra começar deveria ser obrigatório ter um piloto de cada país com tradição na F1

    ReplyDelete
  2. Perfeito !!!
    Perfeito !!!
    Perfeito !!!

    ReplyDelete

Post a Comment