AS ÚLTIMAS SOBRE DEODORO, ANÁLISE DE LITO CAVALCANTI SOBRE O AUTOMOBILISMO NO SÁBADO E A TRANSMISSÃO ALTERNATIVA DA F1



AS DERRAPADAS DE DEODORO:
FATOS SOBRE O EDITAL DO AUTÓDROMO DO RJ

por Sergio Milani e Roberto Zullino

O Formula i tem nos últimos dias se dedicado a trazer o máximo de informação sobre o imbróglio criado sobre a situação do GP do Brasil de Fórmula 1. Desde quarta-feira, quando houve a assinatura do “Termo de Compromisso” pelo Presidente Jair Bolsonaro, temos procurado fugir do palavrório na mídia e trazer a você, leitor, os fatos. E dentro desta linha, trazemos mais dados para ajudar a que se chegue a uma conclusão própria e não aquela mastigada e pré-fabricada.

Com base nisso, o edital completo foi lido (está disponível em http://ecomprasrio.rio.rj.gov.br/editais/banners_lista.asp) e na última sexta. Foi publicado no Diário Oficial do Município do Rio de Janeiro que a entrega das propostas será em 20 de maio. Mas cabe levantar algumas situações:
- prazo: o Presidente falou em um prazo de “6 a 7 meses” para a conclusão das obras. O próprio Edital tem um cronograma que prevê a execução em 24 meses. E vendo os últimos circuitos construídos neste padrão, um prazo de 18 meses é razoável (tanto que, na última revisão do Edital, na parte de análise da Proposta Técnica, a pontuação aumenta se o cronograma apresentado pelos proponentes for abaixo de 24 meses).

Há ainda outro detalhe: as obras só poderão ser iniciadas após a emissão e aprovação dos Estudos de Impacto Ambiental (lembrando que há uma suspensão dada pela Justiça Federal com base no projeto anteriormente apresentado). Normalmente, esta fase leva 6 meses, em condições adequadas.

Pelo aspecto técnico, normalmente uma obra pública no Brasil tem a seguinte equação:  90% da obra consome 90% do orçamento e do tempo. Os 10% restantes consomem mais 90% do tempo e do orçamento.  Por se tratar de empreendimento privado, estes valores mudarão para baixo. Mas mesmo assim o tempo é reduzido e o risco é enorme;

- contrato: Já falamos bem nisso no texto anterior, quando mostramos o “Termo de Convênio” entre a Prefeitura de São Paulo e a dona dos direitos da prova no Brasil (Interpub). Hoje, a bola está com a Interpub.

Pela frieza dos documentos atuais, a corrida fica por mais 5 anos em São Paulo, com eles recebendo uma taxa de 30 milhões de dólares pela realização e ainda faturando com a bilheteria, que recebem metade adiantado, pois recebem de empresas, e também pela fonte dos Hospitality Centers e Camarotes.

Diante desde quadro, a Interpub tem uma fonte certa. E quem pagaria a conta no Rio de Janeiro a partir de 2021? O consórcio dono de Deodoro? A Prefeitura? O Governo Federal?

Há um risco sim de perdemos o GP. Se a Interpub assinar com a Prefeitura do Rio ao invés de São Paulo, há a possibilidade de não haver prova em 2021 e nada garante que a FIA “segure” o lugar para 2022.

O Edital não fala em momento algum que haverá Fórmula 1 na pista e exige uma proposta econômica. Diante do quadro, a proposta a ser entregue no dia 20 tem risco de se revelar inconsistente. A não ser que se haja uma certeza de que a corrida acontecerá.

Pelo quadro atual, para que isso aconteça, deveria a Interpub participar do consórcio que administre o autódromo. Pois se exige que a empresa que irá administrar o local tenha experiência em circuitos FIA e FIM. Por um lado, o consórcio que concebeu o projeto tem a participação de Hermann Tilke e nada impede que ele possa figurar em outros que se habilitem a participar do certame.

Salvo isso, ficar hoje com São Paulo é garantir o “certo”. Ir para o Rio é uma jogada arriscada, cujo ganho ainda é incerto e aumenta o risco de não termos o GP do Brasil. Hoje, a Liberty faz toda a força para retirar a Interpub (que muitos dizem ser de Bernie Ecclestone) e conseguir aumentar a sua renda, em um momento em que as equipes veem a cada vez mais a sua fatia de premiação reduzir ano após ano...  



ANÁLISE E RESULTADOS DO AUTOMOBILISMO NA EDIÇÃO EXTRA DO PODCAST RÁDIO PADDOCK POR LITO CAVALCANTI


Na Edição Extra deste sábado, Lito Cavalcanti fala sobre F1, F2 e F3, analisando o desempenho dos pilotos e os resultados. Imperdível! É só clicar no link:


TRANSMISSÃO ALTERNATIVA DA F1

Veja na TV, ouça com a turma jovem e objetiva, que fala sobre o que você precisa e quer ouvir numa transmissão de F1.
Neste domingo, a partir das 9:45Hs, através do link: https://www.youtube.com/channel/UCkCOcfSfbMQDH_A8cf9trwA



Comments