quinta-feira, 1 de setembro de 2016

ADEUS


por Ialdo Belo

Foram vinte anos escrevendo sobre F1. Em princípio nos EUA e nos últimos anos a partir da Europa.
Não tenho do que reclamar sobre a minha trajetória: ganhei dinheiro, respeito, credibilidade. Visitei lugares incríveis, conheci pessoas extraordinárias, vivi intensamente trabalhando na minha paixão.
Desde os seis anos de idade acompanhei tudo o que podia sobre a Fórmula 1. Cheguei a ouvir corrida em rádio na falta de uma TV, mas nunca deixei de assistir uma sequer, fosse "in loco" ou até mesmo através da internet.
Um problema auditivo detectado antes da pré-temporada quando já estava na minha base em Amsterdam, fez com que eu fosse obrigado a não comparecer aos circuitos este ano, mas, ainda assim mantive meu compromisso profissional de enviar matérias para meus contratantes, baseado nas informações que recebia dos times via e-mail, dos amigos nas equipes e do que assistia via TV.
Tive que limitar meus textos à Europa porque o compromisso lá aumentou: jã que não estava indo direto na fonte teria que escrever mais para compensar.
Apesar de tudo, estava tranquilo quanto à minha situação, até hoje...
O anúncio da aposentadoria de Felipe Massa me pegou não só de surpresa, mas de um jeito que eu não recebia uma notícia da F1 desde a morte de Senna.
Bateu uma melancolia forte, uma tristeza absoluta.
Por quê? Porque Massa ainda tinha muita lenha pra queimar na F1, porque sei que ele ainda queria continuar e esta oportunidade foi tirada dele pelos maus profissionais da imprensa que na ânsia de aparecer buscam sempre o sensacionalismo e não uma análise séria do que pode estar acontecendo a um piloto.
Queimar o filme dá mais audiência do que explicar os problemas técnicos de um carro mal nascido.
Tudo é imediatista. As conquistas anteriores não contam, só a última corrida. A Fórmula 1 virou, literalmente, um circo.
Hoje, contam-se nas mãos os jornalistas realmente sérios. Este não é um problema somente brasileiro. A imprensa espanhola e a italiana são conhecidas pela prática.
E a internet deu ainda mais poder a qualquer idiota para repassar uma informação de terceira mão como se fosse dele, e o que é pior, distorcida.
Mas, acredito que doa muito para um brasileiro que lutou tanto para honrar este país ser tão maltratado pela "imprensa" nacional.
Felipe Massa não foi o único e nem será o último a sofrer com isso. Wilsinho, Emerson, Piquet, Rubinho e até mesmo Senna foram vítimas desses mal-informados. E a história já começa a se repetir com Felipe Nasr.
Não quero e nunca irei compactuar com isso! Mas sou apenas uma das poucas vozes no meio dessa multidão de insensatos.
E cansei.
Tenho uma formação acadêmica que não se limita ao jornalismo, tenho uma confortável situação financeira que me permite parar, refletir e buscar novos rumos profissionais.
Da Fórmula 1 a partir de hoje serei apenas mais um fã apaixonado.
Obrigado a todos os que me apoiaram ao longo de todos esses anos.
Obrigado a você que me prestigiou dando um pouco do seu tempo para a leitura dos meus textos nos últimos vinte anos.
Obrigado a Felipe Massa, por tudo.


Um comentário:

  1. Bom Dia grande Ialdo , Texto para lá de excelente e concordo com você quando você disse " O Felipe Massa tinha muito gás para continuar na F-1" por mais uns 2 ou 3 anos e quando você também sentiu ar de melancolia eu também sentir a mesma sensação essa noticia que nos pegou de surpresa mais uns 3 anos e como você falou foi uma noticia que nos pegou de surpresa pois andava não se estou certo , me corrija se eu não estiver enganado ele estava numa fase boa desde que entrou na Williams fez um belíssimo trabalho numa equipe que quando entrou estava praticamente no fundo do poço e ele com todos os méritos fez um excelente trabalho de desenvolvimento no carro e o que me deixou mais surpreso ainda é que segundo se falava até em sites nacionais e internacionais de grande credibilidade que ele estava praticamente como o piloto número 1 na lista da equipe Renault para a temporada 2017 e concordo em número, gênero e grau quando você fala que uma parte como posso te falar (Imprensa Marrom) faz com que a torcida que muitos não entendem nada de automobilismo quer queimar logo o piloto quando não há um resultado de imediato vamos lembrar do Rubens Barrichello que a imprensa (Marron) após a morte do Senna colocou junto há muita gente desinformada um pressão imensa em cima do garoto na época e a carreira do Rubens foi de trajetória após era Senna 19 anos na categoria e entre outros recordes, e já está querendo colocar essa pressão em cima do Nars, com a saída do Massa eu temo um cenário muito obscuro de outro piloto piloto entrar na F-1 de imediato nos próximos anos e vejo até um grande risco do GP do Brasil no futuro como vem muito se falando.Por isso admiro você como Jornalista como entre outros (uns 3 de alta confiabilidade) porque vocês analisam tecnicamente o cenário das corridas e só me resta agradecer o Rubinho e o Massa nesses anos de F-1 que ambos passaram por ter me proporcionado alegrias eu sempre costumo ver os pontos positivos deles.
    Só nos resta torcemos para que o Massa defina o seu destino quanto ao automobilismos seja na F-E, WEC , a DTM seria um ótimo destino para o Massa numa das equipe da Mercedes ou até mesmo na nossa Stock Car mais que o Massa tem muito gás para queimar,um grande exemplo está aqui no Brasil o Rubens Barrichello lutando pelo o Bi na Stock.

    ResponderExcluir