domingo, 1 de maio de 2016

DA RÚSSIA SEM AMOR


por Ialdo Belo

Por incrível que pareça, o que mais chamou a atenção no GP russo não foi a fantástica vitória de Nico Rosberg ou a espetacular recuperação de Lewis Hamilton, mas, sim, mais uma trapalhada do piloto da casa Daniil Kvyat, que conseguiu  proeza de bater com seu carro em Vettel por duas vezes na largada e ainda atingir o seu companheiro Daniel Ricciardo, tirando da Red Bull qualquer possibilidade de terminar a prova em Sochi na zona de pontuação. 
Se o desempenho de Kvyat nas pistas já estava sendo observado com lupa pelos chefões da Touro, agora os boatos de que ele será substituído pelo veloz e incrivelmente maduro Max Verstappen em 2017 ganharam força de vez.
Kvyat conseguiu a proeza de ser publicamente criticado até mesmo pelo comedido Christian Horner e isso em hipótese alguma representa um bom sinal!
O que fica no ar é que a carreira de Daniil na Fórmula 1 pode tido ter o início do seu fim hoje.

PERIGO WILL ROBINSON 

A longa temporada ainda está no início, mas o que se ouve no paddock é que Jolyon Palmer não irá terminá-la guiando pela Renault.
O filho de Jonathan foi meio que "empurrado" pela Lotus como parte do pacote da compra, assim como Maldonado, mas, seu desempenho tem deixado a desejar.
Portanto, assim como fez com o venezuelano, o time francês já pensa seriamente em descartar Jolyon e promover a titular Esteban Ocon, jovem talento que impressionou na GP3 da qual é o atual campeão.

AMARELANDO

Caso a Renault realmente substitua Palmer ainda nesta temporada por Ocon, a dúvida que fica é no lugar de quem Felipe Nasr entraria na equipe amarela em 2017: no de Magnussem ou no do próprio Ocon, que nesse caso exerceria uma função de piloto "tampão" esquentando o lugar para o brasileiro.

BOTÃO

O destino de Valtteri Bottas parece ser mesmo fora da Williams.
Com a praticamente certa promoção a titular de Stoffel Vandoorne pela McLaren para 2017, Sir Frank já teria manifestado interesse em ter de volta Jenson Button.
O campeão de 2009 ainda luta para permanecer no time de Woking em 2017 e poderá ser alvo de mais um embate na já conturbada relação entre Ron Dennis e a Honda, que tem um carinho todo especial pelo inglês que conquistou a única vitória para os japoneses quando estes tinham sua própria equipe.

ENTRETANTO

Esta ainda é uma história indefinida pois tanto Alonso quanto Massa podem optar pela aposentadoria ao fim desta temporada e aí a dança das cadeiras pode reservar surpresas.

MAS PORÉM

A saída de Raikkonen também não pode ser descartada e a dúvida é se a Ferrari continuará com o interesse já manifestado por Bottas ou se irá à caça do jovem Verstappen já para 2017, hipótese mais do que provável, diga-se de passagem...

ZICA

Urucubaca feia pra cima de Hamilton! Tudo o que tem de dar de errado na Mercedes dá para o inglês.
Ainda assim e apesar dos 100% de aproveitamento de Rosberg, seria uma temeridade descartar Lewis da luta pelo tricampeonato (e quarto título mundial).
Grandes campeões nascem nas adversidades e Hamilton é "bravo", como diria Enzo Ferrari.
Até a metade do campeonato o panorama deverá ficar mais claro e aí sim poderá se fazer uma previsão mais correta de qual das Mercedes será a campeã.

BRUXO

No caminho, porém, existe um tetracampeão mundial dizendo que ele será o campeão em 2016.
Seb Vettel não costuma blefar.
Em 2009, com a toda poderosa Brawn ganhando tudo e mais um pouco, ele cravou que conquistaria o vice-campeonato, o que à época soou absurdo.
No final, se a temporada tivesse sido um pouco mais longa, é possível que o campeão tivesse sido ele. 

FOREVER

Impossível não lembrar de Ayrton Senna hoje.
Fica o registro da saudade daquele que já se foi e o pedido para olharmos com carinho para nossos campeões que ainda estão entre nós e que também nos deram tantas alegrias.







Nenhum comentário:

Postar um comentário