terça-feira, 11 de agosto de 2015

ALONSO AINDA TEM CHANCES DE VOLTAR A SER CAMPEÃO?



por Ialdo Belo

Quando estreou na F1 no ano 2000, Fernando Alonso declarou numa entrevista que sua meta era conquistar três títulos mundiais, a exemplo de seu ídolo Ayrton Senna, e depois se aposentar.
Alonso esteve muito próximo disso: após ser campeão em 2005 e 2006 pela Renault, tinha tudo para repetir o feito em 2007 pela McLaren, não fosse por um estreante inglês chamado Lewis Hamilton.
Alonso pensava que com seus dois títulos consecutivos deveria ter status indiscutível de primeiro piloto no time de Woking, mas, o talento de Hamilton se sobrepôs a isso e a briga interna que se seguiu acabou dando o campeonato daquele ano para Kimi Raikkonen, da Ferrari.
O asturiano teria uma nova chance real em 2010, quando chegou na etapa final em Abu Dhabi com oito pontos de vantagem sobre Sebastian Vettel. Se o alemão vencesse, Alonso teria que terminar abaixo da quinta posição para ser campeão em seu ano de estréia na Ferrari. Entretanto, à frente do espanhol estava Vitaly Petrov e o russo da Renault não facilitou as coisas para o ex-piloto da equipe francesa. Resultado: com a sétima posição Alonso perdeu o campeonato por uma diferença de quatro pontos para Vettel.
Em 2012 e 2013, ele ainda voltaria a ser vice campeão pela Scuderia, mas deixou a equipe italiana no final da temporada 2014 sem ver o seu sonho realizado.
Um contrato milionário e a perspectiva de ver a vitoriosa parceria McLaren-Honda se repetir o levou de volta ao time inglês. Uma decisão vista por muitos como controversa. 
Os resultados até o momento estão longe das expectativas e a dúvida que ainda persiste é se o quinto lugar obtido na Hungria pode ser comemorado como uma real evolução da equipe ou se foi resultado de uma corrida atípica.
O que seja, a realidade é que o relógio está contra Alonso. Aos 34 anos é impossível para ele sequer pensar em vitórias nesta temporada, quanto mais em campeonato.
Em 2016, a McLaren-Honda poderá progredir, esta é a aposta de todos, mas, será este progresso suficiente para derrotar Mercedes, Ferrari ou até mesmo Williams e Red Bull? Ninguém pode afirmar.
Como tem contrato até 2017 com os ingleses, Alonso enfrenta o sério risco de chegar aos 36 anos sem um novo título e sem equipe, até mesmo porque novos talentos como Valtteri Bottas, Felipe Nasr, Max Verstappen e Carlos Sainz Jr. não param de surgir.

Assim sendo, Alonso pode terminar sua carreira numa situação em que, a exemplo de Emerson Fittipaldi, poderia ter obtido muito mais conquistas na F1, mas, tendo feito escolhas que pareciam as certas num determinado momento e acabaram provando serem erradas, jamais voltaria a ser campeão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário