terça-feira, 18 de agosto de 2015

A HORA DA VERDADE



por Ialdo Belo

Depois de resultados incomuns no GP da Hungria, a F1 estará de volta, depois das férias de verão, em Spa-Francorchamps.

O circuito belga é conhecido como um oposto ao autódromo húngaro e é hora de constatar o que realmente está acontecendo para equipes e pilotos.

Será que a Ferrari realmente evoluiu e pode desafiar a Mercedes para o título? Será que Red Bull encontrou o seu caminho? Vamos todos saber no próximo domingo à tarde, se as condições de corrida forem normais.

Mas, essa é a primeira pergunta: como será o tempo? Mutável. Spa-Francorchamps está localizado nas montanhas Ardenas, que têm um microclima notoriamente instável. A subida extrema através da Eau Rouge, com nuvens de spray entre as árvores da floresta é um dos pontos turísticos mais memoráveis do esporte, mas todo mundo sabe como isso pode ser difícil para os pilotos encontrarem o set-up ideal para seus carros. Ainda mais se o tempo traz temporais durante a qualificação, mas um dia ensolarado na corrida. Tudo muda.

No entanto, quase todas as equipes estão prometendo uma atualização real.

"O GP da Bélgica, pode ser considerada a abertura da segunda parte da temporada, em que a equipe Sauber F1 está ansiosa para performances mais fortes graças a uma série de atualizações que serão introduzidas progressivamente. Em Spa, o C34 será equipado com unidades de energia Ferrari mais poderosas e novas asas. A pista é uma das favoritas de todos e exige desempenho de alta velocidade nas curvas e em linha reta, eficiência aerodinâmica e, consequentemente, potência de saída. Tração e frenagem, como de costume, são importantes, mas estão em segundo lugar para a estabilidade e reatividade, portanto, set-ups específicos estão sendo trabalhados. Quanto aos compostos de pneus, médio e macio são os esperados para o evento.” 

Isto foi dito por Giampaolo Dall'Ara, chefe de Engenharia Pista da Sauber F1.

Rob Smedley, da Williams, disse quase o mesmo: "Voltando da pausa de verão todos nós estamos absolutamente revigorados e ansiosos para ir para a pista; o espírito de equipe e motivação na Williams é tangível como nós olhamos para a frente e vemos um desafio para posições no pódio na segunda parte do ano. Spa deve ser um circuito que combina com o FW37 e, portanto, temos que capitalizar sobre isso. As longas retas geminadas com as longas curvas radicais no setor 2 são, definitivamente, características onde temos visto o carro deste ano se comportar muito bem. O clima é um fator importante em Spa e nós, portanto, temos que estar prontos para todas as circunstâncias. Temos feito um monte de lição de casa nesta área recentemente e a equipe fez excelentes incursões. O GP da Bélgica é um fantástico Grand Prix para as equipes e os fãs. Ele encapsula a pureza da F1 muito bem, que é simplesmente sobre os melhores carros do mundo correndo ao redor dos melhores circuitos, e temos a sorte de estar aqui todos os anos."

Mas, eu acho que o mais otimista é o Sr. Yasuhisa Arai, chefe de Automobilismo da Honda. Segundo ele, a Honda agora é muito superior a Renault, está no mesmo nível da Ferrari e vai desafiar a Scuderia este ano e a Mercedes em 2016. Arai também culpou o carro da McLaren pelos maus resultados até agora...
Isto não foi o que eu vi até agora, mas, só o tempo dirá.

DADOS SOBRE A CORRIDA •
    
Hora de início: 14:00h (local) / 12:00h (GMT)

Distância da corrida: 44 voltas (pontos completos concedidos depois de 75% da distância / 33 voltas)

2014 - vencedor: Daniel Ricciardo

2014 - pole position: Nico Rosberg: 2m05.591s 200,766 kmh (molhado)

2014 - volta mais rápida: Nico Rosberg 1m50.511s 228,162 kmh

Safety Car: probabilidade

Chances de um Safety Car: elevadas. Há uma chance de 80% que o Safety Car apareça na corrida de domingo - que é em grande parte devido a acidentes de Spa ocorrendo em alta velocidade.

Observe: a largada, que será pelas novas regras da FIA. Também as voltas 13 e 28. O vencedor do último ano usou uma estratégia de duas paradas com o tempo instável. O mesmo parece provável em 2015.
    
Primeira corrida: 1950

Extensão do circuito: 7.004 km / 4.352 milhas

Distância para a Curva um: 265 metros

Reta mais longa: 2.015 km, a partir da La Source até a Curva 5, Les Combes

Velocidade máxima: 322 kmh

Zonas de DRS: duas - sobre a abordagem na Curva 1 e, mais uma vez, sobre a abordagem da Curva 5.

Curva chave: Curva 10, de 180 graus e duplo vértice canhoto. A entrada é rápida (294 km/h) e “cega”, e os pilotos precisam estar totalmente comprometidos, a fim de serem rápidos.

Comprimento do pit lane: 390 metros, o que é bastante longo. A perda de tempo não é tão grande, porque os carros que ficam na pista tem que percorrer o hairpin da La Source.

Grandes mudanças na pista para 2015: nenhuma
        
Consumo de combustível: em média, 3,35 kg por volta, o que é alto

Aceleração total: 70%

Desgaste do freio: baixo. Há apenas nove eventos de frenagem em uma volta.

Mudanças de velocidade: 48 por volta / 2112 por corrida.


• com informações da McLaren-Honda

Nenhum comentário:

Postar um comentário