segunda-feira, 30 de março de 2015

A VITÓRIA DA EMOÇÃO


por Ialdo Belo

Sebastian Vettel guiou com perfeição e conseguiu o que muitos consideravam impossível até agora: derrotar a Mercedes em condições normais, levando sua Ferrari ao topo do pódio.
A vitória de Sebastian botou fogo no campeonato e provou duas coisas: a Mercedes não é invencível e Maurizio Arrivabene não estava blefando quando disse que o objetivo da Ferrari é derrotar a equipe alemã.
Alguns jornalistas questionaram a estratégia da Mercedes, optando por pneus duros no último pit stop do Hamilton, mas a verdade é que, com 17 voltas para o final da corrida não havia alternativa, uma vez que a previsão da durabilidade dos pneus médios era de apenas... 17 voltas, ou seja, na melhor das hipótes os pneus chegariam no bagaço já que a Mercedes estava desgastando mais os pneus em Sepang do que a equipe italiana. Se não fosse só por isso, ainda existiu um argumento definitivo: a Mercedes não tinha mais pneus médios novos para equipar o carro de Hamilton, ponto final.
O bom equilíbrio da Ferrari também foi confirmado pelo desempenho de Kimi Räikkönen, mesmo sofrendo um acidente na primeira volta, terminou a corrida em quarto lugar.
Rosberg, terceiro, nunca brigou com os líderes. Já a Williams ocupou sua posição real no momento terminando em quinto com Bottas e em sexto com Massa.
Max Verstappen, mais uma vez demonstrou maturidade e competência, trazendo esperanças de que a Holanda pode em breve ter seu primeiro campeão mundial de Fórmula 1.
Ultrapassagens, disputas, toques e muito mais. O GP da Malásia provou ser uma corrida real, diferente, como sempre, de Melbourne.
Uma corrida emocionante e que teve seu clímax com a entoação dos hinos alemão e italiano juntos, como nos tempos de Michael Schumacher. Confesso, fui às lágrimas.
Vamos esperar o que o próximo GP na China nos trará, torcendo para que seja ainda mais emoção
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário