terça-feira, 18 de março de 2014

GP DA AUSTRÁLIA: O ERRO DE MASSA E OTRAS COSITAS MÁS


por Ialdo Belo

Eu tinha simpatia por Felipe Massa até o último domingo. Tinha. O ataque de prima donna proporcionado pelo brasileiro mostra que se ele aprendeu alguma coisa com a convivência com Fernando Alonso foi... ter ataques de prima donna.
Para mim, isso não tem lugar na F1. Sair correndo para pedir uma punição rigorosa contra um piloto, do qual, inclusive, se dizia amigo, sem ao menos averiguar as circunstâncias do acontecimento é, para dizer o mínimo, precipitação. Dar entrevistas atacando de forma acintosa o japonês foi feio.
A F1 já viveu momentos de explosão, principalmente de pilotos brasileiros, como o patético soco de Nelson Piquet no capacete de Eliseo Salazar e o soco desferido contra o rosto de Eddie Irvine por Ayrton Senna. Nenhum desses atos se justificam. Quer brigar? Troca de esporte e vai para o UFC! Entretanto, estes ainda podem ser creditados ao calor do momento e à comprovada barbeiragem do chileno e do irlandês.
Já o caso de Massa foi diferente: ele teve tempo para voltar aos boxes, conversar com a equipe, definir o curso da ação e esperar o que a FIA iria decidir, tudo antes de partir para a entrevista no "cercadinho". Entretanto, esta não foi sua atitude. O locutor da TV brasileira bradava com orgulho que Massa já havia escrito e apresentado formalmente o pedido de exclusão de Kamui para a próxima corrida, enquanto os comissários, bem mais ponderados, avisavam que iriam investigar o assunto após a prova, o que é a atitude correta.
No fim das contas, ficou comprovado que seria impossível para Kobayashi evitar a saída de pista, já que ficou sem os freios traseiros. Ainda assim, teve site brasileiro que após esta constatação feita pela imparcial FIA, ainda insistia em chamar o japonês de "trapalhão"! Eu só queria ver o que esse "jornalista" faria diante da situação! Provavelmente ele acha que seria só frear com os pés no chão, como um Fred Flintstone...
No final das contas, quem errou não foi Kobayashi, mas sim Massa ao não esperar o desenrolar dos fatos antes de abrir a boca e cometer injustiças.
Tudo indica que a Williams veio forte este ano. é possível até que Massa seja campeão, mas, para mim, com esse tipo de atitude ele já entrou no time dos perdedores.

A REGRA É CLARA

Muita indignação sem sentido sobre a desclassificação de Daniel "Ricardo" (na verdade, a pronúncia correta em italiano seria Ritiardo. Como é australiano, a pronúncia em inglês seria um som meio que inexistente em português e portanto difícil de narrar. Aportuguesando a pronúncia, fica Ricardo mesmo). Sem sentido porque a FIA constatou a irregularidade e avisou a RBR desde sexta-feira. No entanto, numa manobra de "peitar" e depois brigar no tapetão, os austríacos insistiram em tentar violar o regulamento. Deu no que deu.
Agora, numa manobra clara de pressão, os australianos querem cancelar o GP em Melbourne sob a absurda alegação de "quebra de contrato" porque os motores V6 não são tão ruidosos como os V8.
O que eles pretendem com isso? A Red Bull protesta, Ecclestone se vê pressionado sob a iminência de perder o GP e joga seu peso em cima da FIA para que essa volte atrás na punição ao piloto australiano.
O que vai acontecer? Nem Deus sabe já que na F1 de hoje a única coisa "correta" é que o dinheiro tem o poder de passar por cima de regras e na hora do vamos ver tudo pode acontecer - vide o caso dos testes "secretos" de pneus da Mercedes ano passado, isso para ficar em apenas um exemplo.

 NOVOS TALENTOS

Bottas, Magnussen e Kvyat. Qualquer um dos três mostrou talento durante a prova, mas, como já havíamos mencionado aqui, Magnussen é um piloto de exceção e repito: o melhor a entrar na F1 depois de Vettel.
Vamos acompanhar o desenrolar da temporada, mas, tudo indica que esses três vieram pra ficar.

 KART

Aquela coisa que Kimi Raikkonen pilotou no domingo não está nem perto de ser chamado de Fórmula 1.
Só mesmo a imensa habilidade do finlandês para manter na pista um cavalo chucro que estava louco pra fugir dela.

 A HISTÓRIA SE REPETE

E de novo, mais uma vez, novamente e por aí vai... volta a cantilena Ferrari - Alonso: o carro é ruim, Fernando é que tira leite de pedra.
Se o pessoal da Scuderia não consegue produzir um carro "bom" já há tantas temporadas, acho que está na hora de mudar o rumo: acabem com o sorvedouro de milhões de euros, fechem a equipe e montem uma empresa de gerenciamento da carreira do espanhol.
Simples assim.

 FLEXA PRATEADA

E a Mercedes confirmou na corrida tudo o que se dizia nos treinos: foi um bicho-papão.
Entretanto, o campeonato é longo e se a coisa estivesse tão fácil assim, Hamilton não teria abandonado logo no início.
Esta será uma daquelas temporadas, acredito eu, disputada etapa por etapa, ou seja: não acredito que haverá uma equipe ou um piloto dominante e o título só será decidido em Abu Dhabi, portanto, segurem seus cavalos e esperem antes de sair proclamando o "já ganhou".

 RESUMO DA ÓPERA

Nada mais que mereça destaque de verdade. As outras equipes e pilotos ficaram dentro do esperado e o próximo GP da Malásia poderá, ou não, esclarecer um pouco mais as coisas.
Se a Mercedes dominar, de novo, um alerta amarelo poderá piscar, mas só deverá permanecer aceso mesmo caso se repita na China.
Se vencer na Espanha, aí já será alerta vermelho para todas as outras equipes.
A ver.  





Nenhum comentário:

Postar um comentário