terça-feira, 27 de agosto de 2013

O DRAMA DE KANAAN

Por Tony Moura


O que você veria para o futuro imediato de um piloto que venceu a última edição das 500 Milhas de Indianápolis, foi campeão da categoria em 2004 e ainda por cima é o piloto mais popular de todo o grid? Contrato garantido com antecipação para 2014? Errado! Neste momento, o futuro do brasileiro é totalmente incerto.
A crise financeira que atingiu as equipes da IndyCar não está fazendo distinções e na verdade o baiano que chegou a ter um salário de 3 milhões de dólares está tentando garantir, até o momento sem sucesso, algo em torno dos 500 mil dólares.
Entretanto, o destino pode ser ainda mais cruel para Tony já que as equipes com as quais conversou até o momento como Andretti, Ganassi e Herta, entre outras, estão precisando que Kanaan traga patrocínios para poder ocupar um cockpit, ou seja, o brasileiro campeão e um dos maiores astros da categoria passaria a ser um pay-driver!
Mesmo em sua equipe atual, com a qual mantém excelente relacionamento, será difícil para Tony continuar em 2014. Jimmy Vasser, um dos sócios da KV, reconhece que não está medindo esforços para ter o brasileiro na próxima temporada, mas admite que tudo depende do dinheiro.
Aliado ao drama de Felipe Massa na F1, o Brasil, celeiro de tantos campeões mundiais nas mais diversas categorias do automobilismo, vê-se frente a real possibilidade de ter apenas um piloto nas categorias top: Hélio Castroneves.

Vamos torcer para que a situação se defina da melhor maneira possível.

2 comentários:

  1. Caraca, matar um leão por dia já não é o bastante.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Sandra. E o pior é que ele tem tudo: talento, carisma, disciplina... menos dinheiro.

    ResponderExcluir