segunda-feira, 5 de agosto de 2013

NOVIDADES NA INDY por Alysson Vilela

Quando no final de 2011 a IndyCar definiu as regras para a temporada 2012 da categoria americana, ela não obrigou, naquele primeiro ano, quanto a regulamentação de motores: tanto poderiam ser Turbo ou Bi Turbo (Twin Turbo)
A montadora norte americana Chevrolet, no mesmo período de mudanças radicais para a temporada 2012 da Indy, anunciou a sua entrada em parceria com a Illmor (que prepara os motores de competição da gigante norte americana) e  decidiu optar pelos motores Bi Turbinados, enquanto a nipônica Honda, que dominou a Indy por vários anos como única montadora, decidiu por disputar a temporada com propulsores turbinados nas temporadas 2012 e 2013. Nessa briga, a Chevrolet com seus motores Bi Turbinados saiu ganhando. Várias equipes que usavam propulsores Honda migraram para a Chevrolet, como por exemplo, Penske, Andretti e KV, entre outras. Já equipes como Ganassi e a RLL optaram a continuar com os motores Honda.
Durante as temporadas de 2012 e a deste ano, ficou nitidamente provado que os propulsores da Chevrolet eram os carros da pista, principalmente nos Ovais. Tinham mais potencia e confiabilidade, tanto que em seu retorno a categoria ganhou no campeonato de marcas e também deu ao piloto da Andretti Ryan Hunter Ray o seu primeiro titulo. Já a montadora japonesa deixou a desejar tanto no campeonato de 2012, como no transcorrer dessa temporada.
Isso fez com que os dirigentes decidissem para a temporada de 2014 a equalização dos motores, isso quer dizer que tanto a Chevrolet quanto a Honda serão obrigadas a usarem os Bi Turbos, o que trará mais emoção a categoria em termos de igualdade de potencia e velocidade final. Mas aí vai uma grande incógnita para montadora japonesa: será que ela dará conta em duas categorias onde os motores serão turbinados? No início do ano a Honda firmou um compromisso também com a F-1 para 2015 numa parceria com a McLaren e em 2016 poderá fornecer motores a outras equipes, como Lotus e Sauber. Já se fala nos bastidores que os primeiros sons do novo motor Honda para a F-1 em breve serão ouvidos na bancada de testes em sua sede, que será instalada na Inglaterra.
Fica a grande dúvida: será que a Honda vai dar conta de proporcionar tanto na Indy com os novos Bi Turbo, como na F-1, confiabilidade e potência?
Na Indy, teremos a resposta já na temporada 2014.
Na F-1, teremos a resposta em 2015, com a volta da velha parceria entre os ingleses e os japoneses, que tantos espetáculos proporcionou durante o período de 88 a 92.

Só resta esperamos para saber.



Os novos motores Bi Turbo para 2014 na Indy: no alto, Chevrolet e logo abaixo, o Honda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário